30 de novembro de 2010

Semana das Artes

Em articulação com a Biblioteca CAIC, o Departamento de Artes apresenta a exposição dos trabalhos realizados no âmbito da Semana das Artes. Trata-se de uma mostra de talento, técnica e arte, da responsabilidade dos alunos dos 2.º e 3.º Ciclos.
Visite a exposição na Biblioteca Escolar CAIC.

28 de novembro de 2010

Feira do Livro de Natal (esta semana)

Lógica para crianças...


O Código Secreto
No banco Poupanças dão um código secreto aos clientes para que estes possam fazer operações pela Internet. Se o código do Rui Lima Gomes for 30405 e o do João Mendes Carvalho for 40608, qual será o código secreto para o Filipe Domingues Reis?

Solução


Rui  /  Lima  /  Gomes
 3    0    4    0    5

João  / Mendes / Carvalho
   4      0        6      0     8

Filipe / Domingues/ Reis
   6    0        9           0    4

27 de novembro de 2010

Centenário do Nascimento do escritor de literatura infantil LEO LIONNI inspira CONTOS NA BIBLIOTECA INFANTIL/LUDOTECA

29 de Novembro de 2010 a 12 de Fevereiro de 2011
Biblioteca Infantil/Ludoteca _ Casa Municipal da Cultura
Público-alvo: pré-escolar (> 4 anos) e 1º Ciclo do Ensino Básico




Leo Lionni nasceu em Amesterdão em Maio de 1910. Era um rapaz fascinado pela natureza. Enchia o quarto com insectos vivos em jarros de vidro, sapos, rãs e peixes em aquários, pássaros e ratos em gaiolas, herbários e colecções de conchas e de pedras. A arte era a outra paixão do pequeno Leo e o seu herói o tio Piet, que o ensinou a desenhar e a pintar e o levava aos museus e galerias de arte de Amesterdão.
Leo Lionni cresceu, como toda a gente. Foi viver para Itália, casou, teve filhos e mudou-se para os Estados Unidos. Trabalhou em publicidade e em revistas e tornou-se um designer famoso.
Em 1959 aconteceu-lhe um pequeno milagre: rasgou bocados de papel colorido de uma revista e usou-os para contar uma história aos netos. Assim nasceu o primeiro dos seus muitos livros: “Pequeno azul e pequeno amarelo”.
Muitos dos livros que Leo Lionni escreveu e ilustrou têm como personagens os animais com que ele enchia o quarto em pequeno. São contos simples que ensinam o que é importante: a amizade, a tolerância, a paz, a poesia e a criatividade.
Escolhemos alguns desses contos para partilhar convosco, esperando que gostem deles tanto como nós.

26 de novembro de 2010

Feira do Livro de Natal

A Biblioteca CAIC convida toda a Comunidade Educativa a visitar a Feira do Livro, na sala de apoio à Biblioteca, a decorrer de 29 de Novembro a 3 de Dezembro.

Ofereça livros neste Natal!! Oferecer livros é oferecer cultura!

Vencedor do Passatempo FQ em Acção na Biblioteca (mês de Novembro)

A vencedora do desafio do mês de Novembro é a aluna Sofia Gomes do 8º A. 
Parabéns!!

Palavra puxa palavra

 A brincar com as palavras na aula de Língua Portuguesa depois da leitura de "O Cavaleiro da Dinamarca". (Tarefa orientada pela professora Rosa Oliveira)

O Cavaleiro
Cavaleiro da Dinamarca
Dinamarca onde vivia
Vivia com a sua família
Família feliz
Feliz na clareira da floresta
Floresta com árvores
Árvores grandes
Grandes viagens
Viagens compridas
Compridas histórias
Histórias contadas
Contadas em lugares
Lugares como Veneza
Veneza, bela cidade
Cidade construída
Construída sobre a água
Água que inunda
Inunda a cidade

Beatriz Ferreira, nº162 do 7º A

Um livro que não esqueci... (Professor António Meneses)

Música de Praia – Pat Conroy
A história começa em Roma, onde encontramos o narrador e protagonista, Jack McCall, que fugiu da sua grande família sulista e dos seus problemas para criar a sua filha, Leah. Rapidamente percebemos que a mulher de Jack, Shyla se suicidou, na Carolina do Sul, atirando-se de uma ponte, cinco anos antes do início da história. Jack, tal como se esperava está destroçado por causa da morte de Shyla e não consegue lidar com a situação. O suicídio de Shyla, as razões para ele e a procura, de Jack, de respostas para estas perguntas constitui a cola que mantém Música de Praia consistente através das suas longas analepses e por vezes histórias irrelevantes do presente.

Jack pegou na sua filha de três anos e afastou-a das famílias que o magoaram imenso depois da família de Shyla o ter processado (e ter perdido) para obterem a custódia de Leah. Cinco anos mais tarde Leah está a fazer perguntas acerca da família de que Jack nunca fala quando Jack este encontra dois amigo do tempo do liceu, Mike Hess que se tinha tornado um importante produtor de Hollywood e Ledare Ainsley, que tinha namorado com Jack quando este andava no liceu, e que não se importaria de o voltar a fazer. Enquanto Ledare e Jack se vão re-reconhecendo, Jack recebe um telegrama de um dos seus cinco irmãos onde se diz que a mãe está a morrer.

Regressando a casa para Leah conhecer a sua família e para ajudar a mãe a morrer, Jack, juntamente com Ledare concorda em ser co-autor de uma mini-série que Mike quer fazer sobre histórias sulistas americanas. Totalmente embrulhado nesta história Mike tenta realmente terminar esta mini-série com a história de um amigo de infância, Jordan Elliot, que pensava ter-se suicidado depois do liceu, mas que é, na realidade, padre em Roma, e é ainda procurado pelas autoridades americanas por algo que só é referido no fim do livro.

Jack é o mais velho de cinco rapazes e a rivalidade entre irmãos e as piadas secas oferecem-nos muitas gargalhadas ao longo da história. Dupree, o segundo filho, trabalha num hospital mental e não é muito desenvolvido. Dallas trabalha como advogado. Tee é o mais sensível dos irmãos. Trabalha com professor de crianças com autismo e finalmente temos John Harden, o excêntrico esquizofrénico da família.
Através de analepses conhecemos a mãe de Jack, Lucy e como cresceu nas piores condições de pobreza (Esta analepse inclui violação, um suicídio e um assassinato levado a cabo por um rapaz de nove anos). Ficamos a conhecer o Grande Judeu, o pai de Mike e as suas lutas horrendas contra os Cossacos (Esta analepse inclui uma violação brutal, duríssimas cenas de assassinatos, decapitação e uma cena digna de Lorena Bobbit). Duas das sequências mais duras foram as histórias dos pais de Shyla, George e Ruth Fox, sobreviventes do Holocausto (Esta analepse inclui muitas violações, infanticídio e brutalidade para além da tortura).

Música de Praia foi escrito na primeira pessoa, do ponto de vista de Jack McCall. Algumas descrições não são recomendáveis para pessoas sensíveis. É uma história interessante, poderosa e que leva a uma leitura compulsiva. Gostei particularmente de ler os julgamentos e as tribulações da família.
É um livro que aborda muitos tópicos: o Holocausto, o suicídio de um ente amado, o ultrapassar de inícios difíceis, o abuso de crianças, a violação, o alcoolismo, a doença mental, a leucemia e a Guerra do Vietname.

"- Sou um homem muito frio, mãe. Há algo em mim que arrepia aqueles que tentam chegar-se a mim (...). Não quero ser assim, mas, mesmo quando estou consciente disso, não consigo ser diferente. Disse à Leah que o amor é mais uma coisa que tem de ser ensinada. Penso que pode ser dividido em várias peças numeradas para tornar o seu manuseamento mais fácil. Acho que ninguém me ensinou, mãe. E acho que passou por cima de ti e do pai. Toda a gente está sempre a falar de amor. É como o tempo. Mas como é que um homem como eu aprende? Como é que eu o faço sair da parte mais profunda do meu ser? Se eu soubesse como soltá-lo, partilhá-lo-ia com todos. Distribui-lo-ia generosamente à minha volta. Mas ninguém me ensinou os passos dessa dança. Ninguém desmontou o amor para eu ver como era feito. Acho que a única maneira como posso amar é em segredo. Há um rio profundo em cujas águas me posso saciar quando não há ninguém por perto. Mas como está escondido e por descobrir, não posso chefiar uma expedição até lá. Por isso amo de modo estranho e oblíquo. O meu amor torna-se numa espécie de conjectura e não me sacia nem me apazigua a dor."

Professor António Meneses

Concurso Postal de Natal 2010 (VIVER O NATAL)


 Trabalhos seleccionados no CAIC

A Biblioteca, em articulação com o Departamento de Artes, organizou a participação dos alunos do 5º ao 12º anos no concurso “Viver o Natal”. Foram seleccionados 3 trabalhos por ciclo, os quais foram enviados ao Serviço de Apoio às Bibliotecas Escolares (Biblioteca Municipal de Coimbra) para concurso a nível distrital. O júri reunirá dia 2 de Dezembro para seleccionar o postal que será o postal oficial de Natal da edilidade.

Os trabalhos seleccionados no CAIC são da autoria dos seguintes alunos:
2º Ciclo: Ana Inês Amado nº 74 do 6º B/João Pedro Matias nº639 do 5º A/Ana Filipa Costa nº 47 do 6º A
3º Ciclo: José Pedro Lemos nº 435 do 9ºB/Ana Carolina Martins nº24 do 8º B /João Paulo Veríssimo nº 256 do 8ºB
Secundário: João Ricardo Ferreira nº 241 do 11º A/João Campos nº 9 do 11º A/ Mariana Dias nº 67 do 11º A


      
Acreditamos que os trabalhos seleccionados representam de forma honrosa o CAIC e aguardamos com confiança a decisão final do júri.  Todos os trabalhos serão expostos pela Biblioteca durante a época festiva do Natal.

9º ano assiste à representação teatral do Auto da Barca do Inferno

Ontem, dia 25 de Novembro, as turmas do 9º ano de escolaridade visitaram o Mosteiro dos Jerónimos e assistiram à representação teatral do Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente. Foi uma representação muito interactiva, em que os actores se misturaram com os espectadores, envolvendo-os na encenação e convidando-os a participar. Esta representação funcionou como motivação para a leitura  da obra e, segundo os alunos, contribuiu bastante para a sua compreensão. Na opinião de todos, foi um momento de boa disposição e de aprendizagem. Valeu a pena!



24 de novembro de 2010

Para reflectir...

"Sou feliz só por preguiça. A infelicidade dá uma trabalheira pior que doença: é preciso entrar e sair dela, afastar os que nos querem consolar, aceitar pêsames por uma porção da alma que nem chegou a falecer."
                                                 Mar Me Quer, Mia Couto

Sugestão de leitura: o Principezinho

Plano Nacional de Leitura


Livro recomendado no programa de português do 9º ano de escolaridade, destinado a leitura orientada na sala de aula - Grau de Dificuldade I.

Antoine de Saint-Exupéry publicou pela primeira vez «O Principezinho» em 1943, quando recuperava de ferimentos de guerra em Nova Iorque, um ano antes do seu avião Lockheed P-38 ter sido dado como desaparecido sobre o Mar Mediterrâneo, durante uma missão de reconhecimento. Mais de meio século depois, a sua fábula sobre o amor e a solidão não perdeu nenhuma da sua força, muito pelo contrário: este livro que se transformou numa das obras mais amadas e admiradas do nosso tempo, é na verdade de alcance intemporal, podendo ser inspirador para leitores de todas as idades e de todas as culturas.

O narrador da obra é um piloto com um avião avariado no deserto do Sahara, que, tenta desesperadamente, reparar os danos causados no seu aparelho. Um belo dia os seus esforços são interrompidos devido à aparição de um pequeno príncipe, que lhe pede que desenhe uma ovelha. Perante um domínio tão misterioso, o piloto não se atreveu a desobedecer e, por muito absurdo que pareça - a mais de mil milhas das próximas regiões habitadas e correndo perigo de vida - pegou num pedaço de papel e numa caneta e fez o que o principezinho tinha pedido. E assim tem início um diálogo que expande a imaginação do narrador para todo o género de infantis e surpreendentes direcções. «O Principezinho» conta a sua viagem de planeta em planeta, cada um sendo um pequeno mundo povoado com um único adulto. Esta maravilhosa sequência criativa evoca não apenas os grandes contos de fadas de todos os tempos, como também o extravagante «Cidades Invisíveis» de Ítalo Calvino. Uma história terna que apresenta uma exposição sentida sobre a tristeza e a solidão, dotada de uma filosofia ansiosa e poética, que revela algumas reflexões sobre o que de facto são os valores da vida.

Vencedores dos desafios DIA DO MAR


Os nomes dos vencedores dos desafios DIA DO MAR são os seguintes:
Desafio 1- Beatriz Pereira, nº 592 do 9ºD/Ana Patrícia Fernandes, nº 83 do 6º B/Ana Inês Amado, nº 74 do 6º B

Aqui ficam as frases premiadas: 

"A frescura das águas faz-nos pensar na beleza que nos rodeia e na beleza que nos inspira na fé Cristã". (Ana Patrícia Fernandes, nº 83 do 6º B)


"A liberdade expirada do movimento das ondas... A brisa marinha emanada das ondas e a espuma cor de pureza fazem lembrar o Céu." (Beatriz Pereira, nº 592 do 9º D)


"O suave bater das ondas desperta em mim uma curiosidade imensa em explorar estas águas luzidias e deixar-me reviver entre elas." (Ana Inês Amado, nº 74 do 6º B)
Desafio 2- Liliana Simões, nº 64 do 11º C
Desafio 3- Sara Guerreiro, nº 762 do 7º B
Parabéns aos vencedores! Os prémios serão entregues na próxima segunda-feira, dia 29 de Novembro, na Biblioteca pelas 13.45h.

21 de novembro de 2010

Banco Alimentar - Não percas a oportunidade de ajudar!

Feira do Livro de Natal


Ofereça livros neste Natal! Oferecer livros é oferecer cultura!

Partilha em verso

Onde acharei lugar tão apartado
Onde acharei lugar tão apartado
E tão isento em tudo da ventura,
Que, não digo eu de humana criatura,
Mas nem de feras seja frequentado?

Algum bosque medonho e carregado,
Ou selva solitária, triste e escura,
Sem fonte clara ou plácida verdura,
Enfim, lugar conforme a meu cuidado?

Porque ali, nas entranhas dos penedos,
Em vida morto, sepultado em vida,
Me queixe copiosa e livremente;

Que, pois a minha pena é sem medida,
Ali triste serei em dias ledos
E dias tristes me farão contente.

                        Luís de Camões

Sabias que...?

...o ponto mais profundo dos oceanos está a 11022 m da superfície? Fica na Marianas Trench, a sudoeste de Guam, no oceano Pacífico?

Lógica para crianças

Recursos escassos

Há muito tempo, quando quase ninguém podia estudar, existia uma pequena escola numa aldeia perdida. Era tão pequena e afastada de tudo, que tinha apenas quatro alunos. Um dia, o professor entregou-lhes uma cartolina em forma de L e disse-lhes:
_ Não há mais. Têm de a dividir de maneira a que os quatro tenham um pedaço da mesma forma e do mesmo tamanho que o resto dos vossos colegas. Como é que os alunos dividiram a cartolina?


 Solução:
 

19 de novembro de 2010

"Livros provocadores" com Leonor Riscado

Acção de Formação promovida pela DGLB e Câmara Municipal de Santa Comba Dão "Livros provocadores" com Leonor Riscado.
Irá decorrer no Auditório Municipal de Santa Comba Dão, no dia 10 de Dezembro 2010.


Dia Mundial da Filosofia (18 de Novembro)

No âmbito da comemoração do Dia Mundial  da Filosofia, o Grupo Disciplinar de Filosofia organizou uma conferência, no Auditório Padre Filipe de Faria, com o conferencista Dr. António Martins, subordinada ao tema "Informação, Comunicação em rede e Filosofia".

18 de novembro de 2010

Ainda o DIA do MAR... (16 de Novembro)

Desafios na BE CAIC



Hora do Conto na BE CAIC

A professora Carla Lapa fez a leitura expressiva da lenda "Castigo de Sal" do livro "Lendas do Mar" de José Jorge Letria, incentivando a pequenada a ler...simplesmente por prazer. 

Concurso Literário Quem Conta Um Conto...Acrescenta Um Ponto

Regulamento

Quem conta um conto…acrescenta um ponto é um concurso literário promovido pelo Semanário Sol em parceria com o Plano Nacional de Leitura.

1. Objectivos
• Fomentar hábitos de leitura e de escrita nos alunos dos 5º e 6º anos de escolaridade.
• Incentivar à escrita de um conto que dê seguimento a um dos 24 livros da Colecção Clássicos Portugueses Contados às Crianças distribuída com o semanário SOL.

2. Destinatários
O concurso destina-se aos alunos do 2º ciclo das escolas públicas e privadas.

3. Calendarização das Actividades:
Fase 1 _ Divulgação e Realização do Concurso nas Escolas (Outubro de 2010 a 14 de Janeiro de 2011)
Indicações para os concorrentes:
• Seleccionar um dos 24 títulos da Colecção Clássicos Portugueses Contados às Crianças distribuída com o semanário SOL (já disponíveis na Biblioteca CAIC).
• Ler o livro seleccionado.
• Escrever um conto original que dê seguimento ao livro lido, recorrendo a competência narrativa e imaginação.
Fase 2 _ Selecção dos trabalhos pelas Escola
• Selecção dos melhores trabalhos pelas escolas (1 por cada turma do 2º Ciclo).
• Selecção do melhor trabalho da Escola e envio do trabalho seleccionado para o júri até 22 de Fevereiro.
Fase 3 _ Selecção dos trabalhos pelo júri e divulgação dos premiados.
• Divulgação dos premiados até 29 de Abril de 2011
• Sessão de entrega de prémios (Maio de 2011)

4. Apresentação e envio dos trabalhos
4.1. Admitem-se a concurso textos inéditos em língua portuguesa em prosa ou verso.
4.2. A participação no concurso é individual e cada aluno poderá participar com apenas um texto.
4.3. O concorrente deverá preencher a ficha de inscrição do concurso disponível em www.sol.pt (hiperligação no sítio Concursos do Plano Nacional de Leitura).
4.4. Os trabalhos seleccionados por cada escola deverão ser acompanhados de:
• Ficha de inscrição disponível em www.sol.pt (hiperligação no sítio Concursos do Plano Nacional de Leitura);
• Fotocópia do Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão do Concorrente;
• CD-Rom com o texto em Microsoft Word for Windows_ .doc /.docx
4.5. Os trabalhos seleccionados pela escola para enviar ao júri deverão obedecer às seguintes características:
• Uma a duas páginas em formato A4, corpo 12, com entrelinhamento duplo e numeradas sequencialmente. Serão excluídos trabalhos manuscritos.
• Entrega de cinco cópias de cada texto e da respectiva ficha de inscrição e envio para correio, para a seguinte morada:

Concurso Quem Conta Um Conto…
Plano Nacional de Leitura
Travessa Terras de Sant’Ana, 15
1250-269 Lisboa

5. Avaliação
A avaliação dos textos a concurso efectuar-se-á segundo os critérios adoptados pelo júri, sendo a sua decisão soberana e não passível de recurso.
Os critérios são os seguintes: coesão e coerência textual com o livro seleccionado; correcção e clareza; riqueza e qualidade estética; originalidade.

6. Júri da Final Nacional
José António Saraiva (SOL), Fernando Pinto Amaral (PNL), Telma Miguel (SOL), Pedro Moura (PNL) e Luísa Sarmento de Matos (Investigadora).

7. A organização do concurso reserva-se o direito de eventual publicação dos trabalhos premiados, assegurando a respectiva autoria.

8. Ofertas às escolas
8.1. Uma Colecção de livros e uma Colecção DVD Juvenil por Biblioteca Escolar em escolas com 2º Ciclo
8.2. As turmas de 2º ciclo das escolas participantes receberão seis colecções de livros.

9. Prémios
Prémios GRANDE FINAL
Alunos
1º Prémio Uma viagem de uma semana para vencedor e família (4 pessoas) a Cabo Verde / 1 Computador Portátil / 1 Colecção DVD Juvenil
2º Prémio Uma estadia de uma semana para vencedor e família (4 pessoas) no ZMAR / 1 Computador Portátil / 1 Colecção DVD Juvenil
3º Prémio Uma estadia de um fim-de-semana para vencedor e família (4 pessoas) no ZMAR / 1 Computador Portátil /1 Colecção DVD Juvenil
Escolas
1º Prémio 1 Dia de actividades para a turma do vencedor no Parque Aventura do Jamor / 1 Computador
2º Prémio 1 Dia de actividades para a turma do vencedor no Parque Aventura do Jamor / 1 Computador
3º Prémio 1 Dia de actividades para a turma do vencedor no Parque Aventura do Jamor /1 Computador

10. Divulgação de resultados
Os resultados do concurso serão divulgados nas versões em papel e online do Semanário SOL e no sítio PNL

Clube “Filosofia para Crianças”



 Informação de última hora: um novo clube nasceu no CAIC. Trata-se do Clube “Filosofia para Crianças” e destina-se aos alunos do 2º Ciclo. Este já alberga 27 alunos e funciona à Quinta-feira, das 16h20m às 17h05m, no Auditório Padre Faria (já se realizaram cinco sessões). Através do "diálogo socrático" tentar-se-á promover:
- a discussão de temas da vida quotidiana
- a oportunidade de discutir ideias de outras pessoas, de ver as nossas ideias ser postas em causa, de aprender a reconciliar e a tolerar opiniões divergentes.
- o pensar por si próprio
- a exploração do pensamento critico e criativo como ferramenta de problematização de situações e projecção de soluções.
- o desenvolvimento da dimensão crítica
- o desenvolvimento da pessoa: paciência, atenção, tolerância
- intervenção na qualidade da comunicação / relação no interior de grupos
- promoção da comunicação baseada na lógica dialógica
Se estás interessado em ingressar, contacta o professor responsável.
                                          Professor Sérgio Alves (Grupo Disciplinar de Filosofia)

Aconselhamento ético e filosófico (Grupo Disciplinar de Filosofia)

Informamos que o Gabinete para a Saúde vai abrir uma nova valência, no seu horário de funcionamento, que corresponde a um projecto inovador do Grupo Disciplinar de Filosofia. Assim, estamos a falar do Aconselhamento ético e filosófico, Os alunos solicitam esta valência…
-Quando há conflitos de valor, de expectativas.
-Quando novas decisões estão a ser procuradas e reflectidas.
-Quando um conhecimento especializado é fundamental para reverter um padrão comportamental.
-Quando é necessário desenvolver uma cultura de inovação;
-Quando há necessidade de formar para a motivação, para a liderança, para a responsabilidade social, ética e para os códigos de ética.
-Quando há necessidade de preparação e acompanhamento de processo de mudança
-Quando existam conflitos no ambiente escolar e/ou familiar
-Quando é necessário um desenvolvimento de Competências sociais
-Quando se tem necessidade de comunicar melhor consigo próprio e com os outros.

Esta valência destina-se a alunos do 9º Ano e do Secundário. Em breve daremos mais notícias.
O professor responsável, Sérgio Alves

Um livro que não esqueci... (Professor Sérgio Alves)


Dostoievski- "Os Irmãos Karamazov"
  É o último livro de Fiodor Dostoievski, sendo considerado por muitos críticos e leitores a melhor dentre todas as suas obras, tendo sido publicado em 1880, sendo finalizado apenas pouco antes de sua morte.
Dostoievski apresenta uma criação tão grandiosa que a crítica não consegue defini-la até hoje. O livro tem todos os ingredientes: religião, psicologia, filosofia, moralidade, além da culpa, expiação e relacionamentos vividos por cada personagem. Ou seja, tudo aquilo que está inerente ao comportamento humano.
Dostoiévski consegue manter o suspense e ainda inserir elementos da psicologia para analisar os personagens diante dos diversos acontecimentos vividos por eles, e com isso construir a idiossincrasia de cada um. O autor usou elementos de sua própria vida (ele era epiléptico e seu pai foi assassinado) para criar um livro tão realista ao ponto de abordar questões estruturais da mentalidade humana, sendo uma obra marcante pela sua verosimilhança e perfeição.
           Extremamente elogiada por Friedrich Nietzsche e Sigmund Freud, "Os Irmãos Karamázov" é uma obra inesquecível, um grande monumento da literatura mundial. Uma leitura obrigatória para quem quer compreender melhor as diversas facetas da alma humana e assim entender o funcionamento da sua…
                                                                                                Professor Sérgio Alves

Dia Mundial do Não-Fumador (17 de Novembro)


Todos contra o tabaco
No âmbito do Dia Mundial do Não-Fumador, o Gabinete para a Saúde e os professores de Ciências Naturais do 6ºano promoveram uma actividade em que os alunos elaboraram dísticos de sensibilização para o não-consumo de tabaco. Os trabalhos encontram-se expostos no hall e passarão depois, em articulação com a biblioteca, a integrar uma exposição num dos painéis da mesma.
Fumar, é um hábito que prejudica todos os órgãos, com consequências bastante gravosas para a Saúde. O tabaco contém uma substância psicoactiva, a nicotina, e várias substâncias cancerígenas. Por isso, é importante não fumar e, para os fumadores, fica aqui a recomendação: pondere já deixar de fumar, pela sua saúde!

16 de novembro de 2010

7 excelentes razões para ler com as crianças (PNL)

Ler + em Família
  1. Ouvir ler em voz alta, ler em conjunto, conversar sobre livros, desenvolve a inteligência e a imaginação.  
  2. Os livros enriquecem o vocabulário e a linguagem.   
  3. As imagens, informações e ideias dos livros alargam o conhecimento do mundo.   
  4. Quem tem o hábito de ler conhece-se melhor a si próprio e compreende melhor os outros.   
  5. Ler em conjunto é divertido, reforça o prazer do convívio.   
  6. Os laços afectivos entre as crianças e os adultos que lhes lêem tornam-se mais fortes.   
  7. A leitura torna as crianças mais calmas, ajuda-as a ganhar autoconfiança e poder de decisão.

Ler + em família (PNL)

Ler + em Família

Ler + em Família

As crianças desenvolvem-se melhor e têm melhores resultados na escola quando contactam com livros diariamente.

Há quem pense que as crianças só começam a aprender a ler quando vão para a escola. Na verdade a capacidade de ler desenvolve-se desde o primeiro ano de vida e deve ser treinada regularmente com a ajuda da família.

Os pais, avós, tios ou padrinhos desempenham um papel importante se lerem em voz alta e se ajudarem as crianças a gostar de livros.

BIBLIOFILMES FESTIVAL - Concurso de vídeos/filmes sobre livros e bibliotecas

O BiblioFilmes é um concurso de vídeos/filmes sobre livros e bibliotecas que iniciou a sua edição de 2011 (o 4º volume) e conta, novamente, com o apoio do Plano Nacional de Leitura, também na escolha das melhores participações recebidas, na vertente Votação Júri.

O concurso está aberto até 15 de Abril. Os vídeos e a informação sobre a respectiva ligação devem ser colocados no YouTube e enviados para a Organização até essa data. O anúncio dos vencedores, nas respectivas categorias, será feito a 23 de Abril, Dia Mundial do Livro.

Toda a informação sobre o Bibliofilmes, bem como sobre as participações nos concursos anteriores, pode ser vista em BiblioFilmes.com ou através do email BiblioFilmes@xariti.com.

O desafio é que Professores e Alunos demonstrem que são "amadores" ("pessoa que ama") de Livros e Bibliotecas e façam um "filme" (em vídeo ou telemóvel) em que contem a sua história e provem o quanto gostam da sua Biblioteca e/ou de um Livro(s).

Das várias sugestões e categorias a concurso, destacamos:

Vídeo de Biblioteca Escolar
Vídeo de aula/actividade escolar para promover a leitura
Vídeo de uma Crítica/Recomendação de um livro
Melhor trailer de um Livro

O BiblioFilmes Festival conta com as vossas participações para dar ainda mais significado ao Dia Mundial do Livro de 2011!

Scriptorium Móvel de João Lizardo

Vai decorrer na semana de 22 a 27 de Novembro na BM de Tábua.


Concurso Nacional de Leitura


O Concurso Nacional de Leitura é uma iniciativa do Plano Nacional de Leitura e visa promover a leitura junto de alunos do 3.º ciclo do ensino básico e do ensino secundário.
Este concurso tem três fases: uma a nível de escola, outra a nível de distrito e outra a nível nacional.
1.ª Fase – Escolas - 16 de Novembro de 2010 a 14 de Janeiro de 2011.
2.ª Fase - Bibliotecas Públicas - Março e Abril de 2011.
3.ª Fase – Final Nacional - Maio de 2011
O presente regulamento estabelece as regras da 1ª fase do concurso a decorrer no 1º Período e início do 2º no CAIC.
1. Objectivo
Seleccionar os 3 melhores trabalhos de cada ciclo de uma Prova de Leitura, a realizar no CAIC.
2. Calendarização
a. 1.ª fase do concurso – 16 de Novembro de 2010 até ao dia 14 de Janeiro de 2011.
b. Realização da prova de selecção no dia 4 de Janeiro de 2011 às 8:30.
c. Divulgação da lista de vencedores no dia 14 de Janeiro de 2011.
3.Público-alvo
Os concorrentes serão alunos do 3º ciclo do Ensino Básico (7º, 8º e 9º anos de escolaridade) e do Ensino Secundário (10º, 11º e 12º anos de escolaridade).
4. Prova
A prova consistirá no preenchimento de uma ficha de leitura elaborada especificamente para o efeito.
5. Obras
As obras para o concurso serão as seguintes:
 3º Ciclo:
O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, de Jorge Amado
O Rapaz do Pijama às Riscas, de John Boyne
Secundário:
Mar me quer, de Mia Couto
Nas tuas mãos, de Inês Pedrosa

6. Inscrição
Os alunos interessados em participar no concurso, deverão proceder à sua inscrição, junto do professor de Língua Portuguesa até 10 de Dezembro de 2010.
7. Prémios
Na 1ª fase do concurso, os alunos seleccionados receberão um prémio.
8. Júri do concurso a nível de escola:
O Júri a nível de escola será constituído por um professor de Língua Portuguesa do 3º Ciclo do Ensino Básico ou do Ensino Secundário, pela Professora Bibliotecária e pela Coordenadora do Departamento de Língua Portuguesa.
9. Organização do concurso ao nível de escola
Cabe à Professora Bibliotecária a organização do concurso, bem como a elaboração das respectivas provas, a afixação da lista dos concorrentes vencedores e a coordenação de todo o processo relacionado com o concurso a nível de escola.